top of page

LEIA

18 de mar. de 2021

Por que um cacique é o principal símbolo do Colo-Colo

Esse texto faz parte da série Emblemáticos, que conta as histórias por trás dos principais símbolos futebolísticos do mundo.

por

Fernanda Lima

O ESTÁDIO MAIS H0STIL DO BRASIL SE CHAMA SÃO JANUÁRIO?
01:42
COMO ESSA TORCIDA INC3NDIOU O ESTÁDIO DO RIVAL
03:36
VOCÊ LEMBRA A HISTÓRIA DESSE TÍTULO QUASE IMPOSSÍVEL NA EURO?
04:14
POR QUE AINDA EXISTEM ESTADUAIS NO BRASIL
06:30
POR QUE ESSA ATITUDE DO KLOPP DEIXOU TODO MUNDO EMOCIONADO
03:52
ESSA TR3TA DO MESSI QUASE ACABOU COM UM SUPER TIME DO BARCELONA
04:06
QUE P#RRA TÁ ACONTECENDO COM A SELEÇÃO BRASILEIRA?
05:41
VOCÊ LEMBRA DESSAS TRETAS MARCANTES ENTRES IRMÃOS?
13:02
ESSAS SÃO AS VINGANÇAS MAIS ICÔNICAS DO FUTEBOL?
09:24
QUE P#RRA TÁ ACONTECENDO COM O SANTA CRUZ?
04:44
FOI ASSIM QUE ESSA TRANSMISSÃO ENGANOU DUAS TORCIDAS
04:37
É POR ISSO QUE O SÃO PAULO TÁ SENDO CHAMADO DE 'O MAIS POPULAR'
13:27

Na lista de escudos originais, o do Colo-Colo nunca fica de fora. Cheio de homenagens a figuras importantes, o emblema colocolino é um dos mais simbólicos do futebol.


Fundado em 1925, o Colo-Colo já nasceu com um nome de peso. Se liga na história: no século XVI, quando os espanhóis chegaram em terras sul-americanas, os mapuches, povo indígena que vive no Chile e na Argentina, foram os principais opositores à invasão europeia. O líder dos índios era o cacique Colo Colo, conhecido pela força e poder. Foi daí que surgiu a inspiração para nomear o clube que, em pouco tempo, tornaria-se o mais popular do país.


Embora o nome fosse único, os escudos do Cacique, apelido do clube, foram simples e nada chamativos por algumas décadas. As cores azul, vermelho e branco são as mesmas da bandeira nacional e os formatos mudaram ao longo do tempo, mas sempre foram um pouco semelhantes entre si. Veja:



Nos anos 40, época em que a onda nacionalista começava a tomar conta do país, uma ligação ainda mais profunda foi feita com a história chilena: a imagem do indígena foi adotada no emblema.



A figura no distintivo do clube fortaleceu ainda mais a identificação do povo com o clube e, claro, chamou a atenção do mundo. O desenho foi remodelado ao longo do tempo, mas o imponente cacique segue firme como principal representante dos valores colocolinos.



Achando que o nome, o apelido e a imagem no escudo não eram suficientes, a diretoria decidiu pintar a imagem do líder nas arquibancadas do Monumental David Arellano e colocar um busto na frente do estádio. Em todos os sentidos, o Colo Colo está por toda parte.



Se você já reparou nas camisas alvinegras*, deve ter visto uma faixa preta na parte de cima do escudo e pensado que era para representar o luto por alguém importante que morreu. O significado é esse mesmo, o detalhe é que o clube decidiu viver um luto eterno.



Honrando a tradição de reverenciar figuras importantes, seja do clube ou do país, a faixa foi adicionada para lembrar de David Arellano, fundador, primeiro capitão e ídolo do time – foi ele quem tornou mundialmente famosa a chilena, conhecida como bicicleta aqui no Brasil. Além disso, Arellano também foi homenageado tendo seu nome colocado na casa do clube. Um dos caras mais marcantes da história do gigante chileno morreu de forma trágica, aos 25 anos, após sofrer com uma infecção na região do estômago depois de uma pancada enquanto estava em campo.


*As cores do emblema sejam o azul, vermelho e o branco, mas o Colo-Colo usa uniformes alvinegros. Para eles, o branco significa pureza e preto seriedade.


É com essa camisa pesada pelos símbolos que carrega que o Colo-Colo, apoiado pela paixão da torcida, conquistou grandes títulos (é o maior campeão do campeonato nacional e o único chileno e vencer a Libertadores masculina e feminina) e é reconhecido como um dos clubes mais tradicionais da América do Sul.



Do outro lado, os rivais, principalmente torcedores da Universidad de Chile, argumentam que o crescimento e sucesso colocolino se deve aos favorecimentos da Ditadura Militar comandada por Pinochet. Essa treta é de longa data e você pode entender melhor vendo “Todos Querem Colo-Colo”, documentário do PELEJA sobre esse assunto:



ASSISTA

bottom of page