top of page

LEIA

10 de mar. de 2021

Os jogadores seguem cagando em campo sem você perceber

É cada vez mais normal o número 2 se destacar numa partida tensa.

por

Fernanda Lima

É POR ISSO QUE O KROSS NUNCA MUDA DE CHUTEIRA
04:37
POR QUE AUTORIDADES SUGEREM M4C0NHA EM VEZ DE ÁLCO0L NA EURO 2024
03:02
ESSA FOI A HOMENAGEM MAIS EMOCIONANTE DO FUTEBOL EM VIDA
04:22
É POR ISSO QUE ESTÃO QUERENDO ACABAR COM O VAR NA INGLATERRA
05:09
POR QUE ESSES JOGADORES FRANCESES ODEIAM A EXTR3MA DIREITA
04:12
POR QUE ESSE GESTO DA TURQUIA NA EURO É TÃO POLÊMICO
06:54
POR QUE OS TORCEDORES JOVENS DA INGLATERRA ESTÃO VICIADOS EM PORR4DA
09:43
POR QUE O MORATA É TÃO CRITICADO NA ESPANHA
06:17
ESSA FOI A COPA AMÉRICA MAIS DESASTROSA DA HISTÓRIA
05:04
O ESTÁDIO MAIS H0STIL DO BRASIL SE CHAMA SÃO JANUÁRIO?
01:42
COMO ESSA TORCIDA INC3NDIOU O ESTÁDIO DO RIVAL
03:36
VOCÊ LEMBRA A HISTÓRIA DESSE TÍTULO QUASE IMPOSSÍVEL NA EURO?
04:14

Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas o campo de futebol é um dos lugares mais nojentos para se estar. Cuspe, mijo, catarro e até cocô são elementos comuns no meio do gramado que jogadores rolam durante os 90 minutos – alguns comem pedaços de grama na hora da comemoração, é bom lembrar.


No primeiro episódio do Manual PELEJA, te explicamos os motivos para a cuspideira em campo. Sobre xixi, cocô e catarro ainda não fizemos (fica a dica para os chefes), mas dá para entender que também são questões naturais e precisam acontecer para que os caras continuem jogando tranquilos. Mesmo assim, ver jogadores expelindo secreções é bem nojento.


Os cuspes e assoadas de narizes são mais comuns e acontecem o tempo todo. O xixi e o cocô são mais raros, mas existem casos emblemáticos de jogadores mijões e cagões – nesse caso, literalmente – nos campos do Brasil e do exterior. Vejamos. Ronaldo Fenômeno, em 1996, vestia a camisa da Seleção Brasileira nas Olimpíadas quando não se aguentou e teve que mandar ver ali mesmo. O jovem atacante sentou no gramado e, como se não bastasse mijar no campo, usou a bola para esconder as partes íntimas. Rivaldo ficou ao lado para dar monitorar a situação.



Ainda na linha dos que disfarçam o que tá rolando, Douglas, nos tempos de Grêmio, chamou os companheiros para ajudá-lo a mijar sem ser flagrado e ainda deu um migué de que estava amarrando as chuteiras. A famosa rodinha foi feita e o meia, no gramado do Maracanã durante uma partida de Copa do Brasil, aliviou-se. Detalhe: ele fez até um gol depois do xixi.


REPRODUÇÃO: GLOBO ESPORTE

E o gramado do Maracanã, coitado, parece ser a vítima querida dos mijões. O goleiro rubro-negro Thiago não fez questão de esconder o que estava rolando e fez xixi sob os olhos de colegas e torcedores.


FOTO: URSULA NERY / REPRODUÇÃO: EXTRA

Na Itália, o goleirão Armando Prisco, que defendia o Messima, da 4ª divisão, arrumou problemas por não aguentar segurar e urinar perto da sua área. O juizão viu, achou um desrespeito e o expulsou direto. A Federação também não achou legal e o suspendeu por 3 jogos. O jogador foi sincero na entrevista:


"Bebi água quando entramos no estádio, antes do aquecimento, no vestiário... Não aguentei. Estava me contorcendo como um louco e simulei que alongava atrás de uma placa publicitária porque eu sabia que as pessoas estavam por perto e eu não queria que pensassem que eu estava urinando.”



E por falar em árbitro, os apitadores, gente como a gente, não ficam de fora da lista de mijões de gramados futebolísticos. O suíço Massimo Busacca apitava um jogo entre Al-Gharafa e Al-Khor, pelo campeonato nacional do Catar, e não aguentou segurar o xixi. Durante uma jogada de escanteio, ele disfarçou e fez ali mesmo, na lateral do campo.


ÁRBITRO MASSIMO BUSACCA EM MOMENTO DE IRRITAÇÃO DURANTE A COPA DA SUÍÇA. FOTO: THOMAS HODEL / REPRODUÇÃO: RTVE

Essa lista é grande, mas a de jogadores que fizeram cocô em campo, não – ainda bem. O caso mais emblemático foi o de Gary Lineker e aconteceu nada menos que na abertura da Copa do Mundo de 1990. Em meados do 2º tempo, Lineker deu um carrinho e ficou caído no gramado. Ele não conseguiu segurar e simplesmente deixou sair o que você está pensando. Quando dois companheiros se aproximaram, o atacante contou o que se passava e começou a se esfregar discretamente no campo para limpar a merda que tinha feito. Não mais do que de repente, começou a chover e ele conseguiu se sair bem do incidente.


"Eu tive muita sorte que choveu aquela noite porque me permitiu fazer algo a respeito, mas foi nojento. Simplesmente aconteceu. Eu te digo que eu nunca tive tanto espaço em uma partida como naquele dia."



Pense que minutos depois, irlandeses e ingleses se arrastaram, tocaram no gramado imundo sem nem saber o que tinha ali no meio da grama. Urgh. A vida dos jogadores pode ser glamorosa fora de campo, mas dentro dos relvados as coisas não são tão bonitas quanto parecem. Mas quem somos nós para julgar... de qualquer forma, fica o alerta: cuidado ao entrar em um campo de futebol profissional, você já sabe o que te espera.

-

Desabafo 1: o atleta chileno Valdivia, quando jogava no Palmeiras, já fez xixi na lateral do campo e usou a desculpa de que estava sentindo dores na coxa. Pior do que fazer é não assumir. Tire suas próprias conclusões.



Desabafo 2: Eoin Bradley, atacante do Coleraine, clube da Irlanda do Norte, pediu para ir ao banheiro fazer xixi e teve a solicitação negada. Consequentemente, restou o gramado. Pelo ato, pegou 6 jogos de suspensão. #JustiçaPorBradley



ASSISTA

bottom of page