top of page

LEIA

16 de mar. de 2023

O futebol brasileiro no Oscar: "Marte Um" na trave

O futebol é utilizado para contar a história de uma humilde família no longa dirigido por Gabriel Martins.

por

João Vasques Rosa

O ESTÁDIO MAIS H0STIL DO BRASIL SE CHAMA SÃO JANUÁRIO?
01:42
COMO ESSA TORCIDA INC3NDIOU O ESTÁDIO DO RIVAL
03:36
VOCÊ LEMBRA A HISTÓRIA DESSE TÍTULO QUASE IMPOSSÍVEL NA EURO?
04:14
POR QUE AINDA EXISTEM ESTADUAIS NO BRASIL
06:30
POR QUE ESSA ATITUDE DO KLOPP DEIXOU TODO MUNDO EMOCIONADO
03:52
ESSA TR3TA DO MESSI QUASE ACABOU COM UM SUPER TIME DO BARCELONA
04:06
QUE P#RRA TÁ ACONTECENDO COM A SELEÇÃO BRASILEIRA?
05:41
VOCÊ LEMBRA DESSAS TRETAS MARCANTES ENTRES IRMÃOS?
13:02
ESSAS SÃO AS VINGANÇAS MAIS ICÔNICAS DO FUTEBOL?
09:24
QUE P#RRA TÁ ACONTECENDO COM O SANTA CRUZ?
04:44
FOI ASSIM QUE ESSA TRANSMISSÃO ENGANOU DUAS TORCIDAS
04:37
É POR ISSO QUE O SÃO PAULO TÁ SENDO CHAMADO DE 'O MAIS POPULAR'
13:27

O cineasta Pasolini certa vez escreveu que "Cada gol é uma invenção, uma subversão do código: cada gol é fulgurante, espanto, irreversibilidade". Façamos uma leitura dos sonhos em jogo em Marte Um partindo dessa afirmação.


O caçula da família, Deivinho, joga no Colo Colo, time de várzea da cidade de Contagem-MG. O garoto é um dos craques da equipe e seu pai, sempre presente, registra seus gols e os compila em vídeos de melhores momentos para divulgar o filho. A oportunidade de ouro surge: uma vaga numa peneira arranjada por Sorín, ex-jogador do Cruzeiro que passa a morar no prédio em que o pai de Deivinho trabalha.


No campo da irreversibilidade, percebemos que o talento de Deivinho em anotar gols o encaminha à irreversível sina de ser a extensão do sonho do pai.


DIVULGAÇÃO/FILMES DE PLÁSTICO


Cruzeirense fanático, Wellington tem o sonho o de ver o filho ser profissional pela raposa, jogando no mineirão pulsante. Numa décacada de 10 que se finda à luz da tensão que divide a sociedade em meio a um novo governo, o pai da família não tem muito tempo a perder com ideologia romântica: deve-se trabalhar. Sob a pressão da inflação, os banhos devem ser mais curtos mas o pay-per-view do futebol, mantido. A obstinação do patriarca se estende à sua luta contra os vícios.


Tércia, a mãe, enfrenta uma batalha espiritual e sua trajetória ao longo do filme resvala no ponto da zica, superstição e azar. Tais temas, intrínsecos ao futebol porque são intrínsecos à vida, passam a ditar os comportamentos da mãe, que chega a optar fazer uma viagem para que nada de ruim ocorra a Deivinho. Indiretamente, trata-se de mais uma cábala em função do jogo.


Da mesma forma, a filha Eunice enfrenta a dureza dos novos eventos que se apresentam à sua vida: a vontade de mudar de casa, a indefinição de seu futuro e a revelação de sua homossexualidade, que ocorre simbolicamente enquanto a família assiste ao clássico de BH: gol do Atlético e luto na casa.


DIVULGAÇÃO/FILMES DE PLÁSTICO


Recuperando Pasolini, Deivinho transgride algumas barreiras que se construíram acerca do futebol: sonho garantidor da mudança social, símbolo extremo da esperança. Ao abdicar da peneira, se permite sonhar com outro mundo, um marte que permite que os meninos almejem também estudar e nao apenas amar (e eventualmente se frustrar com) a bola.


O futebol é a coluna de sustentação de Marte Um sem ser o foco. Isto se dá porque na vida do brasileiro também é assim. Entre sonhos e frustrações, momentos de divertimento no fim de semana, conversas no meio do expediente, notícias amargas e presentes de Natal como um livro de Tostão, aprendemos a deixar o esporte conviver com outros aspectos da vida.


DIVULGAÇÃO/FILMES DE PLÁSTICO


O filme de Gabriel Martins foi indicado pela Academia Brasileira de Cinema para representar nosso país no Oscar na categoria Melhor Filme Internacional de 2023 mas não decolou.

ASSISTA

bottom of page