top of page

LEIA

13 de jul. de 2023

Cambismo: como Taylor Swift evidenciou o perrengue que faz parte do cotidiano do torcedor

Apesar de normalizado no Brasil, principalmente no meio futebolístico, cambismo é crime. E fãs da Taylor Swift colocaram esse debate em evidência na mídia e na política nacional.

por

Artur Magalhães

O ESTÁDIO MAIS H0STIL DO BRASIL SE CHAMA SÃO JANUÁRIO?
01:42
COMO ESSA TORCIDA INC3NDIOU O ESTÁDIO DO RIVAL
03:36
VOCÊ LEMBRA A HISTÓRIA DESSE TÍTULO QUASE IMPOSSÍVEL NA EURO?
04:14
POR QUE AINDA EXISTEM ESTADUAIS NO BRASIL
06:30
POR QUE ESSA ATITUDE DO KLOPP DEIXOU TODO MUNDO EMOCIONADO
03:52
ESSA TR3TA DO MESSI QUASE ACABOU COM UM SUPER TIME DO BARCELONA
04:06
QUE P#RRA TÁ ACONTECENDO COM A SELEÇÃO BRASILEIRA?
05:41
VOCÊ LEMBRA DESSAS TRETAS MARCANTES ENTRES IRMÃOS?
13:02
ESSAS SÃO AS VINGANÇAS MAIS ICÔNICAS DO FUTEBOL?
09:24
QUE P#RRA TÁ ACONTECENDO COM O SANTA CRUZ?
04:44
FOI ASSIM QUE ESSA TRANSMISSÃO ENGANOU DUAS TORCIDAS
04:37
É POR ISSO QUE O SÃO PAULO TÁ SENDO CHAMADO DE 'O MAIS POPULAR'
13:27

Taylor Swift anunciou que uma turnê sua, a “The Era Tour”, passaria pela primeira vez pelo Brasil, e isso foi o suficiente para gerar uma mistura de êxtase e caos na fanbase da artista. Inicialmente, seriam apenas três shows em solo brasileiro, mas a procura enorme do país já fez a cantora anunciar mais duas datas extras. O fenômeno desencadeado pelas apresentações do nome do momento da música internacional e a busca incessante pelos seus ingressos colocaram em evidência um debate que, para quem frequenta estádio no Brasil, não tem nada de novo: o cambismo.


FILA PARA VENDA DE SHOW DE TAYLOR SWIFT TEM AMEAÇA E AGRESSÃO EM SÃO PAULO: "ISSO VAI DAR EM MORTE". JULIA GUGLIELMO/ARQUIVO PESSOAL


Os shows de Taylor em São Paulo e no Rio acontecerão, respectivamente, no Allianz Parque, estádio do Palmeiras, e no Nilton Santos, estádio do Botafogo. Athletico Paranaense e Coritiba também foram procurados para alugar seus estádios, mas a proposta foi recusada devido aos jogos do Campeonato Brasileiro.


Quando as vendas online dos shows abriram, bastaram 37 minutos para que todos os ingressos se esgotassem. Foram cerca de 1 milhão e 100 mil acessos simultâneos na busca pelos tickets. E com isso, surgiram também várias denúncias de má organização das vendas, intermináveis filas nas bilheterias físicas e abuso de cambistas que conseguiram ficar com uma grande quantidade desses ingressos. Esse foi um dos assuntos mais comentados da internet brasileira. Só que o que rola é que, no futebol, tem torcedor passando por esses problemas toda semana.


CAMBISTA ANUNCIANDO INGRESSOS DE JOGO NO FACEBOOK. DIÁRIO DE PERNAMBUCO


A situação ficou tão em evidência que a promotoria do consumidor, após pedido da deputada Érika Hilton, encaminhou uma denúncia ao Ministério Público para investigação dos esquemas de cambismo. Nas vendas físicas, vários fãs relataram agressividade de cambistas, que furaram filas para adquirir os ingressos para revenda. A polícia foi chamada no local para conter a situação.


No futebol, o cambismo está presente desde sempre, mas nunca foi tão debatido a ponto de ser pauta da política nacional. Em 2022, o Palmeiras chegou a lançar uma nota oficial sobre a “venda irregular” de ingressos próximo ao Allianz, anunciando que pensava maneiras de combatê-la. Desde maio desse ano, o clube usa de reconhecimento facial nas roletas do estádio. Alem disso, foram removidos mais de 200 cambistas que se passavam por torcedores.


Também em 2022, a final da Copa do Brasil reacendeu o debate entre os flamenguistas revoltados por não conseguirem comprar seus ingressos. Mais uma vez, o clube se pronunciou sobre o assunto. O Flamengo anunciou estar “em constante troca com as autoridades envolvidas no combate ao cambismo" e ainda reforçou que "vender ingressos de evento esportivo por preço superior ao estampado no bilhete" é crime previsto no Estatuto do Torcedor com a pena de um a dois anos de reclusão e multa.


Abaixo-assinados, petições públicas, "tuitaços" com a frase “FÃS CONTRA O CAMBISMO”… a movimentação foi grande nas redes contra a prática.


O deputado federal André Janones endossou o coro e afirmou que também mobilizou sua equipe para que cobrem o Ministério Público Federal sobre o tema. Já a deputada Simone Marquetto propôs uma lei intitulada “Lei Taylor Swift”, que configura a prática do cambismo como “crime contra a economia popular”.


Após anos de existência, normalização e invisibilidade no futebol, pela primeira vez o cambismo foi debatido com tanta veemencia na mídia e na política nacional. No fim das contas, a relação de Taylor Swift com o futebol foi além de mandar clubes jogarem fora de casa para alugar seus estádios ou teorias supersticiosas sobre o lançamento de seus álbuns e as vitórias do Corinthians; Taylor pautou um debate que deveria ser pautado há muito tempo e, com isso, pode mudar todo o cotidiano e a luta diária de um torcedor para ver seu clube do coração.


TORCEDOR DO BAHIA MANDA MENSAGEM CONTRA CAMBISMO.

REPRODUÇÃO TWITTER

ASSISTA

bottom of page